| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

MOSAICO DA DIVERSIDADE

Page history last edited by Mara Tavares 13 years, 2 months ago

 

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL – UFRGS 

GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA À DISTÂNCIA – PEAD 

 

INTERDISCIPLINA QUESTÕES ÉTNICO-RACIAIS NA EDUCAÇÃO: 

SOCIOLOGIA E HISTÓRIA - B 

- EIXO VI - 

 

 

 

Professor FERNANDO SEFFNER 

Aluna Mara Rosane Noble Tavares 

megahipersuperbichado@gmail.com 

Pólo de Gravataí

 

Enfoque V - Como trabalhar Questões Étnico- Raciais na Escola?

1ª Etapa – Planejamento e apresentação da proposta da prática

 

MOSAICO DA DIVERSIDADE

 

DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS DA TURMA 32

-2009-

 

IDENTIFICAÇÃO

E. E. E. F. NAÇÕES UNIDAS

3º ANO ENS. FUNDAMENTAL/ENS. DE 9 ANOS

PROFESSORA MARA ROSANE NOBLE TAVARES

DURAÇÃO: 2 AULAS DE 4 HORAS

 

JUSTIFICATIVA 

Essa atividade é um esforço para aprofundar a compreensão da composição étnico-racial da população do nosso entorno. É através do trabalho com as evidências étnico/histórico/culturais, trazidas pelos nossos alunos, que a Escola poderá acolher a diversidade e se tornar um espaço de pertencimento, valorização e construção da Identidade.

Ainda, no mundo de hoje, onde a violência ao outro e o desrespeito pelo diferente ocupa lugar comum na vida das pessoas, o desafio está em aprender sobre cada povo, cada cultura, cada etnia para compreendermos a diversidade e superarmos os pré-conceitos que produzem a discriminação, construindo conceitos de semelhanças entre as pessoas e pertencimentos a diferentes grupos.

 

OBJETIVOS

 

•    Sensibilizar acerca das diferenças que compõem os grupos familiares e os grupos de convivência;

•    Despertar a noção de valorização e pertencimento histórico e cultural, percebendo os pontos em comum entre as diferentes culturas e etnias identificando o que nos faz semelhantes;

•    Construir e compreender a noção de diversidade, igualdade e identidade entre os seres humanos que habitam diferentes pontos do planeta.

•    Identificar os principais grupos étnicos que compõe o espaço da sala de aula e a forma como se relacionam.

 

CARACTERIZAÇÃO DA TURMA

 

A turma 32 é uma turma pequena com 13 alunos, quando da época do desenvolvimento desse trabalho. Pertencendo a sua maioria ao grupo étnico-racial negro (conclusão da turma) e com classes sociais variadas. Em comum, frequentam o SASI (Serviço de Assistência Social Infantil) no turno inverso, 12 alunos são colorados e apenas um é gremista. Há alunos vindos do interior e outros que sempre viveram na comunidade do entorno da Escola.

 

PROCEDIMENTOS - Estratégias e Desenvolvimento

 

Na quinta-feira, dia 02/04/09, motivada pelo interesse dos meus alunos em realizar a atividade do "Espelho" [1] , solicitei que todos trouxessem um espelho para a aula na sexta-feira.

Primeira atividade de sexta-feira, "Espelho":

Material: Uma folha de ofício, lápis, borracha e um espelho para olhar o rosto.

Desenvolvimento: 1º) Olhar-se no espelho e desenhar-se como se vê;

                            2º) Escrever o que vê, descrever sua aparência: Cabelos,

                                  olhos, nariz, boca, cor da pele, etc.

MESA REDONDA - Questionar: Como você se vê? Qual a sua cor? Qual a sua origem - de que país, estado, cidade, lugar vieram? Com quem vocês se parecem? De quem herdou cor e feitio de olhos, cabelos, o nariz, etc?

Muitas crianças argumentaram que eram morenas escuras, outras que eram mulatas e outras variações de cores. Falaram de suas semelhanças tanto físicas como psicológicas. Expliquei sobre alguns povos e suas etnias, discutimos as Etnias que existem e os deixei pensando sobre o que era exatamente a "ETNIA". 

 

Segunda atividade:

 

Leitura do poema “O Gato” de Marina Colasanti.

MESA REDONDA - Conversar sobre características, caprichos e manias dos alunos e da professora; sobre o nome da autora, comentar que ela nasceu na África, na Etiópia, hoje Eritréia; comentar a origem de seu sobrenome e sobre sua etnia (Só negros moram na África? / Só brancos moram na Europa?).

Sondar o que sabem a partir do senso comum; retomar o assunto de nossas origens e etnias, de onde vieram nossos ancestrais, como chegaram aqui; qual a nossa herança cultural e como nos sentimos em relação a ela. Questionar sobre a história de cada povo e seus heróis; sobre as influências desses povos no nosso continente, país, estado, cidade e bairro.

Essa discussão deixou os alunos mais agitados, pois desestabilizou algumas certezas que tinham, fez que começassem a se perceber de maneira diferente e com que começassem a formular o conceito de etnia e pertencimento étnico-racial, muitos disseram que haviam entendido o que era etnia, mas de repente disseram que o que tinham entendido agora não era igual ao que tinham entendido antes.

  

APÓS O RECREIO

 

Terceira atividade:

 

SAI - Levar os alunos para navegar na Internet a fim de explorar textos que falem sobre as nossas origens, sobre a diversidade dos povos que habitam o planeta, como os negros e como foram integrados à cultura brasileira; os Índios e sua relação com a sua/nossa Terra. Durante a navegação, fazer interferências, questionar sobre as descoberta, etc.

Ao final dessa etapa questionar: Que outros povos habitam o planeta? Orientar que acessem o Google Mapas e pesquisem por nomes de países nos mapas.

Escolher alguns povos para pesquisar seus costumes no Google: Árabes, Hindus, Judeus, Chineses, Japoneses, etc.

Durante essas tarefas sempre retomar o conceito de "ETNIA"

A essa altura, a turma postulou que "ETNIA" é o povo que mora num determinado lugar, que tem costumes, hábitos, regras, cultura, roupas, comidas, etc, de um determinado jeito, que não interessa a cor da pele, como no Brasil. Mas, que tem alguns povos que as características do corpo também são iguais para todos que moram naquele lugar, como os chineses e os japoneses, porém estes dois povos, mesmo sendo parecidos, não são da mesma etnia.

  

PROPOR PARA A PRÓXIMA SEMANA A CONFECÇÃO DE UM PAINEL (MOSAICO) PARA EXPOR NOSSAS DESCOBERTAS.

 

TEMA DE CASA

 

 1ª Etapa para o Mosaico:

 

ELABORAR JUNTO COM OS ALUNOS UM ROTEIRO PARA A CRIAÇÃO DO MOSAICO

O Roteiro ficou assim:

1.    Escolher e trazer fotos antigas e atuais da família, escrever atrás da foto quem são as pessoas, onde e quando as fotos foram tiradas;

2.    Trazer certidões de nascimento, sua, de seus pais e avós, se puder;

3.    Entrevista: Perguntar para alguém da família se sabe de onde a família veio e quando se mudou para o bairro ou se sempre morou aqui; Qual a etnia que a família pertence: Africana, Açoriana, Indígena ou outra (anotar as respostas).

4.    Por sugestão de a aluna Rafaela tentar fazer uma “árvore genealógica” desde os bisavôs e bisavós.

  

 2ª Etapa para o Mosaico:

 

Segunda-feira, levantamento dos dados coletados no fim de semana e desenvolvimento das atividades para a construção do Mosaico da Diversidade.

MESA REDONDA - Cada aluno irá relatar o que descobriu no fim de semana e qual a sua origem étnico-racial.

Após os relatos, confeccionar mapas que indicam a origem familiar, e outros desenhos que indiquem outros pertencimentos que não o da família.

Durante os relatos, apareceram uma variedade de descendências que indicam a miscigenação dos povos, como italianos e negros, índios e negros, brancos e índios e brancos e negros, surgiram mais definidos os conceitos de nações, países e de etnias. Eles relacionaram, por exemplo, que os Italianos e alemães são da etnia européia, mas que moram em países diferentes (nacionalidade); que existem muitas nações indígenas; muitas nações africanas e árabes, mas mesmo que sejam de nações ou países diferentes com culturas diferentes ainda são de um mesmo grupo étnico-racial.

Passamos então a discutir os pertencimentos, onde apareceram as famílias; a turma 32; a Escola; o SASI e o Sport Club Internacional, que no fim de semana completou um centenário; apareceram ainda a rua, o bairro e a nossa cidade, que é construída por nós todos os dias um pouquinho.

Após as discussões, que duraram enquanto confeccionamos nossos desenhos, fomos montar o Mosaico e dar nome a ele.

  

3ª Etapa para o Mosaico:

 

Após o Recreio, confeccionamos o Mosaico sobre uma grande mesa, cada aluno acomodou seu material como quis, fazendo ajustes nos materiais dos colegas até que o Mosaico adquirisse o aspecto que desejavam. Permiti que os alunos fizessem comparações livremente; evidenciassem as diferenças, as semelhanças e coincidências. Fizemos o levantamento dos lugares de origem, a definição das etnias da turma e citamos os parentes mais antigos como fonte histórica, apontando em uma tabela de múltipla entrada no quadro de giz.

Os alunos ao montarem e remontarem o Mosaico tornaram-no dinâmico; discutiram ao redor dele sobre seus pertencimentos, sobre o que era diferente e semelhante entre suas histórias, as coincidências que apareceram; sobre as mudanças de opinião que tiveram e sobre a possibilidade de uma nova etnia gaúcha estar para surgir no futuro (falas muito interessantes). Após, posaram para as fotos, recolheram seus pertences do Mosaico e entregaram para a professora todo o material confeccionado por eles para o painel do Mosaico. Pediram que a professora escaneace e coloque no site da Escola a fim de ser apreciado por todos e para que outras turmas façam também essa atividade.

 

YouTube plugin error  

Endereço do Mosaico da Diversidade:

http://www.youtube.com/watch?v=M4mWyoxB0GU

 

AVALIAÇÃO:

A avaliação atingiu os objetivos formulados para a atividade, pois durante o seu desenvolvimento os alunos participaram dos debates trazendo seus próprios saberes; reconheceram-se como seres iguais de direitos e deveres; refletiram sobre as novas informações alterando suas hipóteses anteriores e construíram um novo estágio de conhecimento relacionado à diversidade; identificaram suas origens culturais e étnicas, as características herdadas e as presentes em seus grupos de pertencimento e em seu espaço e tempo social; construíram criticamente uma leitura da realidade social em que vivem e a formularam um conceito estável e próximo do pensamento acadêmico sobre etnia; identificaram os grupos étnico-raciais que frequentam a sala e evidenciaram algumas atitudes e comportamentos que tinham em relação uns aos outros que provém do preconceito cultural, num esforço de modificar essas condutas.

 

Além da bibliografia indicada pela Interdisciplina Questões Étnico-Raciais, foram consultados os seguintes textos:

 

Referências:

- O Norte para a Aprendizagem

- A chave do Ensino

- O Essencial Mesmo

- A cara do Brasil é feita com todas as cores

- Educação não tem cor

- Bibliografia Afro-Brasileira (listagem)

 

 

Outras referêrencias para a atividade:

- Autores: MEIRELES, Cecília; BANDEIRA, Manuel, LISBOA, Henriqueta; QUINTANA, Mario; COLASANTI, Marina; BILAC, Olavo; LEMINSKI, Paulo; MORAES, Antonieta Dias de; GULLAR, Ferreira; CORALINA, Cora; MURALHA, Sidónio; ALMEIDA, Guilherme de. Caminho da Poesia - PNBE 2003 - LITERATURA EM MINHA CASA 4ª SÉRIE – Volume I – Poesia. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Titular do Direito Autoral GLOBAL EDITORA E DISTRIBUIDORA LTDA. Código da Coleção 7566 Código do Livro 214141 (p.23,24 e 25).

- WIKIPEDIA. http://pt.wikipedia.org/wiki/Zumbi_dos_Palmares

- Google Mapas. http://maps.google.com.br/maps?hl=pt-BR&tab=wl

- Google Pesquisas. http://www.google.com.br/

 

[1]. Atividade realizada em 24/03/09 em aula Presencial de Questões Étnico-Raciais.

Além da bibliografia indicada pela Interdisciplina Questões Étinco-Raciais, foram consultados os textos: EM BUSCA DE UMA ANCESTRALIDADE BRASILEIRA, de Daniel Mundurucu e textos presentes no CD.

 

 

2ª Etapa – Reflexão teórica sobre a prática.

 

 

 



Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.